Visitantes

Notícias da Labre

Atividade Solar

Postagens populares

segunda-feira, 27 de abril de 2015
III Encontro de Rádioamadores e Rádio do Cidadão de Espirito Santo do Pinhal-SP e Região

AO PESSOAL QUE PRETENDE ENTRAR PARA O RADIOAMADORISMO AI ESTÁ A OPORTUNIDADE SE ESCREVAM INSCRIÇÕES ABERTAS: www.aprrc.com.br



Aprrc - Px Clube Pinhalense
INSCRIÇÕES ABERTAS www.aprrc.com.br
Pedimos a colaboração á quem puder de 1kg de alimento não perecível ou produtos de higiene e limpeza.
Agradecemos desde já...

sábado, 11 de abril de 2015
Modificar saída 2sc 1969 para IRF 520 saída Mosfet

Lista de peças para MOD:

-1: IRF520
-1: resistor 330K Ohms
-1: 470-Ohm resistor
-1: 1N4148 Diodo
-1: Capacitor de cerâmica 68PF
-1: Capacitor de cerâmica 470PF

Instruções de conversão:

1.) Remova L40, & o Transistor 2SC1969 Final.

2.) Instalar um IRF520 no lugar do estoque final, o uso original
Isoladores e, se houver algum danificado substituí-los. Utilização
composto dissipador de calor para garantir a boa transferência de calor.

3.) Adicionar 470PF Capacitor cerâmico em toda a C152.

4.) Adicionar 68PF Capacitor cerâmico em toda a C146.

5.) Solde uma ponta do resistor 330K Ohm para o GATE-
(PIN-1) do IRF520, depois solde a outra extremidade do circuito,
Ground.

6.) Solde um resistor de 470 Ohm em série com o ânodo de chumbo
de um diodo 1N4148. Agora solde o cátodo (anilhas final)
do diodo 1N4148 para o GATE (PIN-1) do IRF520.
Soldar a extremidade livre do resistor 470 Ohm-circuito
Ground. Ver Diagrama 1 para diagrama de conexão da peça.

Uma vez convertido, sintonizar o transmissor.




OBS:

Nao se esqueçam de comprar tb algo muito util que muita gente esquece e depois lá se vai o driver final
Pasta para contacto Transistor's/hibrido's/Dissipador que se encontra em qualquer loja da especialidade um bom contacto com os mesmos só é saudavel para o andar final .
Eu por exemplo uso e esporadicamente verifico o estado dessa mesma massa para que nao aconteça o pior um tubo conhecido
por ........BD Plastipak
Maos á obra e bons Dx's 73's
domingo, 5 de abril de 2015
O RÁDIOAMADORISMO



O radioamadorismo é um hobby científico com diversas modalidades. O radioamador é a pessoa que procura manter funcionando uma estação de radiocomunicação, ora para comunicados e conversas informais bem como para concursos e competições nacionais e internacionais. Além dos "bate-papos" e contestes, o radioamador pode auxiliar as autoridades de Defesa Civil nas situações de risco e calamidades públicas, levando as comunicações aos mais longínquos rincões, por exemplo, no interior da Amazônia ou da Savana Africana. Algumas dessas modalidades utilizam-se do Código Fonético Internacional e do Código Q em sua comunicação que é muito utilizada por radioamadores no mundo inteiro em troca de informações e mensagens, tanto em curtas quanto em longas distâncias. Além dos operadores de estações amadoras de radiocomunicação, estes códigos são utilizados por serviços diversos, tanto civis quanto militares, e também por profissionais e empresas que utilizam a radiocomunicação como fator de contato entre seus integrantes.


 Modalidades de comunicação

São diversas as modalidades de transmissões no radioamadorismo, dentre elas: telegrafia ou CW, AM, SSB-USB/LSB, FM, FSK para os modos digitais: SSTV, RTTY, Packet (Acesso via internet+software+radio), operação via satélite.

QRP O termo QRP tem sua origem no código Q internacional e significa "Posso diminuir a potência?". No meio radioamadorístico, QRP significa operações com potência RMS de saída do estágio final de RF inferior a 5 Watts (37dBm). Praticantes da arte do QRP muitas vezes constroem e operam seus próprios equipamentos de rádio.

Devido a baixa potência, a modulação mais comum usada por radioamadores entusiastas do QRP é o CW (Código Morse); porém, as operações QRP não estão limitadas ao CW. Qualquer tipo de modulação, analógica ou digital, que permita contatos com potências inferiores a 5 Watts pode ser usado em operações QRP. A popularidade do CW tem origem históricas e pelo fato dele ser um modo que pode ser obtido usando circuitos eletrônicos de relativa simplicidade.

No Brasil não é diferente, existem muitos praticantes e amantes do QRP. Muitos deles são adeptos a comunicação a longa distancia e a competição. Concursos nacionais e internacionais tem a participação dos amantes desta modalidade, e para troca de informações técnicas existe um grupos de discussão sobre o assunto.

Um dos mais completos sites que trata de competições no meio radioamadorístico é o SM3CER Contest Service nele você encontra o calendário atualizado das competições em todo mundo, juntamente com suas regras, onde você poderá pesquisar se a competição tem a modalidade QRP, muitas destas competições são puramente QRP, ou seja somente para rádios de baixa potencia.

Existe ainda a possibilidade da montagem de seu próprio equipamento QRP, são muitos os sites a qual incentivam esta prática como é o caso do Radioamador Miguel Angelo Bartié , PY2OHH, no site a qual ele é mantenedor, você poderá encontrar esquemas e dicas, onde sem duvida esta atividade além de prazerosa se tornará mais accessível, principalmente no investimento final..

Hoje em dia pelo desafio muitos são os fabricantes que ainda investem nesta modalidade, como é o caso da Yaesu, Ten Tec, Elecraft e outros, facilitando principalmente aos operadores já que recursos de filtragem melhoram a recepção, além disto o equipamente QRP, já que o consumo de energia é pequeno, é o preferido para quem gosta de acampamentos de final de semana, férias, já que desempenho melhora muito no campo aberto ou mesmo a beira do mar.

Em reconhecimento da popularidade do QRP, o ARRL (American Radio Relay League) incentiva esta modalidade disponibilizando um prêmio para os Radioamadores, que têm contato com pelo menos 100 entidades DXCC, utilizando 5W saída ou menos. Contatos feitos a qualquer momento no passado contarão, e os cartões de confirmação (QSLs) não são obrigatórios.

Outros

Existem no mundo muitos tipos de radioamadores, aqueles que procuram ter uma estação de radiocomunicação com intuito de adquirir conhecimento em diversos ramos da ciência, pois, para se ter uma estação de rádio é necessário dominar diversos ramos do conhecimento tecnológico e científico, alguns são: a Eletricidade, a Eletrônica, a Mecânica, incluindo a Matemática e a Física em modo geral, para os aficcionados em comunicados a longa distância, chamados de DX, destacam-se o conhecimento da Meteorologia, da Astronomia, além de conhecimentos de Geografia, dentre outros ramos do conhecimento. Muitos profissionais das mais diversas áreas nasceram a partir de estudos feitos no radioamadorismo.

A oportunidade de se comunicar com outros colegas radioamadores de todas as partes do mundo por meio de uma estação de rádio traz muitas alegrias, por permitir a integração entre pessoas de diversas culturas e países.

O principal objetivo do radioamador é o aprimoramento de sua estação de rádio através da melhoria constante de seus equipamentos e antenas, o radioamador utiliza as ondas de rádio como meio de propagação de seus comunicados, bem como o estudo da propagação de ondas no espaço, a reflexão ionosférica, reflexão lunar, estudos do espectro de radiofreqüência em geral, aspectos geográficos em radiocomunicação.

Distribuídos por todo o mundo, até 2004 havia mais de 3 milhões, sendo 50% nos Estados Unidos da América. Os radioamadores desempenham um serviço que a legislação internacional define como sendo de auto-aprendizagem, intercomunicações e pesquisas técnicas, realizadas por pessoas devidamente autorizadas, que se interessam pela radiotécnica com objetivos estritamente pessoais, sem fins lucrativos.

Contribuições dos radioamadores

No mundo, o radioamadorismo foi responsável pelo avanço de muitas tecnologias. Os radioamadores desenvolveram a base da radiocomunicação desde seu início, se não fossem as técnicas desenvolvidas pelos radioamadores a internet, por exemplo, não existiria, ou demoraria muito mais para ser desenvolvida. Outros avanços que ocorreram graças ao radioamadorismo foram na área da radiocomunicação, como a telefonia celular, o Radar, o sistema de transmissão de dados via microondas e até mesmo o sistema de fornos de microondas.

Os sistemas de telefonia celular partem do mesmo princípio das estações repetidoras que são utilizadas pelos radioamadores, este sistema trabalha em duas frequências diferentes (600 kHz para a faixa de 2 metros), uma para recepção e outra para a transmissão, só que as estações que fazem esta função na faixa de radioamador utilizam uma freqüência por vez (sistema simplex) ao passo que as destinadas à telefonia celular utilizam duas ao mesmo tempo (sistema duplex ou full-duplex), uma para quem fala e outra para quem escuta. Obviamente que hoje as famosas ERBs (Estação Radio Base) de telefonia celular utilizam um sistema muito mais evoluído que o descrito, porém a essência do funcionamento é o mesmo.

Legislação

O Radioamador é a pessoa habilitada pelos órgãos competentes a operar uma estação de rádio, nas freqüências delimitadas pelos órgãos governamentais competentes para tal, no Brasil está a cargo da Anatel - Agência Nacional de Telecomunicações, seguindo padrões mundias da UIT (União Internacional de Telecomunicações). Em tais freqüências não é permitida a operação para fins comerciais ou desviada para qualquer outra finalidade.

Repetidoras

Uma repetidora consiste de um sistema eletrônico que recebe sinais fracos e ou de baixa altitude e retransmite de um local, geralmente mais alto, e com mais potência. Desta forma o sinal pode cobrir distâncias maiores sem perder a qualidade.

O termo repetidora se origina da telegrafia e se refere a um sistema eletro-mecânico usado para regenerar sinais telegráficos. O uso deste termo também é válido na comunicação telefônica e de dados.

Banner para seu site

eQSOdoBrasil
<a href='http://eqsodobrasil.blogspot.com/' title='eQSODOBrasil'><img src='http://radioclube.ueuo.com/banners/eqsodobrasil.jpg' alt='eQSODOBrasil' width="192" height="70"></a>

Parceiros

Parceiros
SEJA VOCÊ TAMBÉM UM PARCEIRO NOSSO!!!

Consulta de Indicativos